#DifraçõesHistóricas

Uma escrita da História no tempo das contingências

“As Florestas Sagradas do Impasse” (Artigo na Revista HALAC)

cover_issue_34_pt_BR

Volume 8, Número 1 (2018)

Foi ao ar hoje o mais recente número da revista HALAC (Historia Ambiental, Latinoamericana y Caribeña). Dentre os vários artigos desse interessante número, está um trabalho meu com o título As “Florestas Sagradas” do Impasse: a Reserva Florestal do Território Federal do Acre (1911). Trata-se de uma das partes da minha tese que recebeu uma análise mais detida nessa adaptação. Embora o artigo dialogue com trabalhos no campo da História Ambiental, basicamente a análise é feita por meio de uma História das Coisas (a coisa, nesse caso, é o decreto N. 8.843 de 26 de julho de 1911, que criou a Reserva Florestal do Território Federal do Acre). Analiso as origens do decreto e sua meteórica inserção nas complexas tramas políticas que envolviam diferentes projetos de integração do Acre ao Brasil, que estavam em disputa no período. Utilizando dos conceitos de “impasse” e “contingência”, da socióloga Robin Wagner-Pacifici, demonstro como o decreto foi uma contingência que produziu um sério impasse entre as elites seringalistas locais, as oligarquias dos estados do Amazonas, Pará e Ceará, e o governo do então Presidente Hermes da Fonseca. O resultado do impasse foi a produção do esquecimento do decreto e a sua não-implementação.

O artigo pode ser lido aqui.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 21 de novembro de 2018 por em Artigos e marcado , , , , , , .
%d blogueiros gostam disto: