#DifraçõesHistóricas

Uma escrita da História no tempo das contingências

The Way of Water (Future Fiction Book 19) de Nina Munteanu (2016)

ENG-19-Way-of-Water-NMunteanu

MUNTEANU, Nina. The Way of Water (Future Fiction Book 19). Francesco Verso Ed., 2016. 48p.

Estórias de ficção científica podem funcionar como teoria política, por meio da identificação de ausências e da imaginação de presentes possíveis no mundo real. Assim conclui Margret Grebowicz e Helen Merrick ao analisar as obras da bióloga e filósofa da ciência Donna Haraway [1]. É uma pena que a maioria dos cientistas das chamadas “hard sciences” ignore o poder da arte e da literatura na divulgação do conhecimento à partir de imaginações de realidades ausentes ou mesmo possíveis. Muitos, preferem o conforto dos castelos do universalismo arrogante, rodeados por muros pouco tangíveis e transponíveis pelos leigos. E essa postura tem sérias consequências, talvez contribuindo, por exemplo, no fortalecimento do atual anti-intelectualismo em ascensão.

Contudo, felizmente há cientistas interessados em tornar atraente para um grande público o importante conhecimento produzido em suas áreas. É o caso de Nina Munteanu, limnologista canadense e escritora de livros de science fiction e eco-fiction, que lançou, em 2016, o pequeno e-book The Way of Water, obra disponível na Amazon, e que apresenta duas estórias futuristas e um ensaio sobre a problemática do papel da água no planeta e na história humana.

A água tem uma importância central nessa obra. A primeira estória ocorre e um Canadá futurista assolado pela escassez de água devido às mudanças climáticas e pelo rígido controle do ciclo hidrológico por parte de grandes conglomerados transnacionais. Um emaranhado de questões políticas, econômicas, sociais e materiais emergem nas memórias de Hilda, uma mulher que investiu todos os seus recursos em uma resistência contra o domínio da água, mas que encontra-se à beira da morte. Guardando uma ligação forte com essa estória, o ensaio Story of Water, traça um breve histórico das relações humanas com as águas desde a antiguidade até os dias atuais, lembrando como relações políticas, econômicas e sociais equivocadas com os corpos de água provocou a queda de grandes impérios no passado. Esse olhar retrospectivo busca alertar sobre as consequências catastróficas que uma equivocada relação com a água pode acarretar para uma humanidade globalmente interconectada. Ambos os capítulos são separados (praticamente uma quebra) pela estória Virtually Yours, um conto sobre o amor na era digital, publicado originalmente na Neo-opsis Science Fiction Magazine em 2004.

“We are water. What we are do to water we do to ourselves”.

-MUNTEANU, Nina. The Way of Water.

The Way of Water é um livro de fácil leitura e atraente para grande público, apresentando uma visão holística (sistêmica) do ciclo planetário da água, onde os humanos são uma parte integrante do planeta, assim como elementos “naturais”, como a água, são parte integrante dos humanos. Experiências pessoais e referências à best-sellers são citadas ao longo do ensaio que fecha o e-book, em tirar o mérito do trabalho. A obra apresenta uma visão afinada com perspectivas majoritarias dentro da área das ciências ambientais, muito útil em termos de educação ambiental e divulgação de perspectivas científicas atuais sobre a água.

Referências

[1] GREBOWICZ, M.; MERRICK, H. Beyond the Cyborg: Adventures with Donna Haraway. New York: Columbia University Press, 2013.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 7 de fevereiro de 2018 por em Resenhas/Comentários e marcado , , , , , , .
%d blogueiros gostam disto: